Eles disseram sim: o presidente é negro!

Criado por Letícia Castro em em 05/11/2008


Barack Obama é eleito o 44o. presidente dos EUA (Foto: Folha de SP)

Século 21? Era de Aquário? Não importa, they finally caved in. Neste histórico 05 de novembro de 2008, o mundo elegeu para si um presidente negro. Meio negro, inter-racial, negro e branco, elitista, não importam o fenotipo ou o posicionamento político: ele é negro. Barack Obama, 47, acaba de ser eleito o primeiro presidente afro-descendente da história dos Estados Unidos, um país marcado pela segregação racial, berço da Ku Klux Klan. Igreja de negro, bar de negro, escola de negro, até os anos 60, eles não tinham direito pleno ao voto (leia sobre a histórica Marcha sobre Washington), quase 50 anos depois, ocupam o cargo máximo do governo. Do mundo. Mas como é que fica? O que isso representa?

Black but not that much

Como bem pontuado na biografia de Obama, no site da Folha, “Em uma medida muito bem planejada de sua campanha, Obama prefere não utilizar o rótulo de presidente negro, tão citado por seus eleitores e pela mídia. Cauteloso, ele não quer ficar estereotipado como candidato de um único eleitorado e arriscar perder importantes grupos demográficos do país.” A ação foi, no mínimo, perspicaz.

Para se destacar e conseguir infiltrar-se no círculo mais fechado da política norte-americana, vale qualquer estratégia. Obama é formado em Direito, pela Universidade de Harvard, seu pai, o queniano Barack Hussein Obama, também foi educado em Harvard. Conheceu sua mulher, Michelle, na mesma universidade, daí entende-se que a cor de Barack pouco tem a ver com o estereótipo de classe minotária e humilde. Nem mesmo quando voltou a viver no Havaí, onde nasceu, com os avós maternos e brancos, o novo presidente chegou a passar por dificuldades que justificassem o “American dream”, aquele em que o homem simples vence, apesar das dificuldades. Se Obama tem algum mérito, é o da educação, cujo exemplo já estava embuído na figura paterna.

Thank you, Hillary

As expectativas em torno do governo de Obama são infinitas. Carismático, com apenas 11 anos de vida política, conseguiu chegar ao grau máximo da carreira, no cargo almejado por qualquer político mundial desde criança. E, de quebra, ainda venceu a sucessora natural para a Casa Branca, queridíssima no partido e entre a população, a notória e badalada Hillary Clinton. Obama ganhou o ticket dourado aí, quando ganhou a preferência e se sagrou o candidato dos democratas.

Foi como um popular senador pelo estado de Illinois que Barack despontou como possível força para concorrer às eleições. Apostando na mudança (“Change we need”), lema de sua campanha, que atacou desde o início a atual administração, o novo presidente foi angariando as pequenas votações e assembléias até a conquista dos superdelegados do partido que o apoiaram sem hesitação. Nesse instante, Obama assumiu a figura que se espereva dele: viajou o mundo em campanha, fez comício para milhares na Alemanha, encantou a França e consolidou a pecha de político moderno e capaz, pronto pra salvar o planeta, no melhor estilo herói de quadrinhos. O mundo se rendeu e começou a torcer por ele.

The snake charmer

É preciso lembrar que o novo presidente nunca exerceu um cargo administrativo, nem de baixo, nem de alto escalão. De carreira política efetiva, apenas os mandatos de deputado estadual, de 1997 a 2004, e de senador, até o início da campanha presidencial, ambos por Illinois. Foi um hábil advogado especialista em direitos civis e um legislador tido como liberal moderado que conseguia trabalhar com os membros dos partidos democrata e republicano, os únicos do país.

É tido por alguns como a grande encarnação do sonho americano de reconciliação racial entre brancos e negros e sobre a questão, chegou a declarar, durante a campanha: “Não existem Estados Unidos negros e Estados Unidos brancos, Estados Unidos latinos e Estados Unidos asiáticos. Somos um único povo, todos jurando fidelidade à bandeira estrelada, todos defendendo os Estados Unidos da América”.

Resta esperar que eles não tenham elegido a sua versão de líder populista, encantador das multidões, e que as habilidades de Obama se convertam em uma gestão eficiente que realmente ultrapasse questões menores como a cor da pele do presidente. Olhando a crise de frente, nesse momento um “super-herói” até que viria bem a calhar.

Aqui se fala português

Comentários (20)
  1. Michell Niero comentou, em 05/11/2008:

    Você pontou muito bem. A estratégia do Obama foi bem “mineira”, pois ele sabe queo racismo nos EUA poderia derrubar não só a vitória dele mas também a própria candidatura.

    O discurso dele pregando um governo multiracial vai de encontro, por exemplo, com o lider da bancada negra do partido democrata. Jesse Jackson, que chegou a criticar Obama durante a campanha por omitir sua cor de pele. O fato é que a estratégia de Obama deu certo.

    Responder
  2. Rodrigo Piva comentou, em 05/11/2008:

    Parabéns pelo artigo, Lê!
    Fiquei muito feliz com a eleição de Obama. Independente da cor da pele, para mim, representou o fim da “era Bush”. Só por esta razão já senti um alívio e as esperanças de um mundo melhor, já que os EUA ainda reinarão por algum tempo no panorama mundial.

    Beijão!!

    Responder
  3. carla m. comentou, em 05/11/2008:

    Lê, comadre,

    é inegável o caráter simbólico da vitória de Obama. Mas tu pontuou com maestria o quanto isso não se reflete na política que virá dele.

    Em geral, democratas incomodam mais a América do Sul na política internacional que os republicanos, que preferem “civilizar” lugares mais distantes, com suas guerras.

    Vamos esperar que Obama não seja esse encantador de serpentes que pode ser.

    Mesmo assim, é inegável, tem um negão na Casa Branca, hehehe.

    Beijo!

    Responder
  4. All3X comentou, em 05/11/2008:

    Muito bom Letícia, esse seu post ficou ótimo. Já terei que repensar em uma nova estratégia para meu próprio blog…pois ese daqui foi ao encontro de muitos dos pensamentos que já possuía.
    Disse com clareza que Obama pode ser sim uma grande alternativa de conciliação e renovação política. Mas devemos ser cautelos, pois nem tudo se constrói com grande velocidade. Principlamente para mudar algo que já foi consolidado.
    Valeu, abração
    All3X

    Responder
  5. Marcelo comentou, em 05/11/2008:

    Pois é, Letícia,

    Acho que estão esperando demais com se Obama fosse ser a solução para todos os problemas e esquecem que os problemas não são tão simples e que as decisões não dependem só dele.

    Vai retirar as tropas do Iraque, vai acabar com a crise financeira, vai trazer a paz e a igualdade para o mundo… Não sei não.

    Não gosto de rótulos “Veja: – é o primeiro presidente negro” óóó…

    Mas o que o difere de um branco além da cor?

    Será que comemoraremos o primeiro presidente (assumido) gay americano? E o que o diferirá de um hetero?

    Não sei. Espero pouco e torço para que seja melhor e mais sensato do que Bush..

    O que não é vantagem, é obrigação, né..
    rs

    Responder
  6. Edu França comentou, em 05/11/2008:

    Demorou bastante para haver um presidente negro, sim negro, porque esa história de quase branco, melhorado em sangue albino é papo de brasileiro que odéia a idéia de sermos todos, sem excessão, negros. Filho de um pai emigrado, meio bêbado, morreu num acidente carro cheio de cachaça, foi criado por uma mãe guerreira, tem um modelo bonito, uma figura que sugere um épico! A tática dele não foi ardilosa, foi real, ele é e se propunha ser o presidente dos EUA, e não dos negros americanos, afro-americanos é o cacete, negros é negros e pronto, e qual o problema nisso? Então os brancos são franco-descedentes, ou germano-decentndes? Isso é tão ridículo, a França não gosta dele, engole, mas não gosta. O republicanos são melhores pras indústrias Francesas e européias de um modo geral! O fato é que ele ser negro ou azul só cria um burburinho e talvez lave a alma dessa parcela sofrida da população, mas que ninguém se engane porque um projeto presidencial é tudo e apenas um presidente, que muitas vezes é apenas um rosto de um projeto do qual ele participa assinando!
    Eu não tenho nenhuma esperança, agora pelas políticas anteriores dos democratas eu sei que eles são mais calmos, menos bélicos, mas não perdem um centavo para ninguém vivem a política do que é meu é meu e o que é seu é negociável, isso é uma desgraça para o Brasil, mas é uma coisa que eu tenho dito aos amigos, se é para ser fodido ao menos que seja por um povo mais simpático, que me arrombe de sorriso no rosto, ao menos isso! E o mundo conotinua o mesmo, um lugar hostil e mal frequentado!

    Responder
  7. Guilherme Freitas comentou, em 05/11/2008:

    Obama é inteligente e não se intitula como um candidato negro e sim multiracial. E ele está certo, chega de ficar taxando que fulano é negro, ciclano é branco, etc. Somos todos iguais, somos seres humanos.

    Responder
  8. Ellen Regina - facetasdemim comentou, em 05/11/2008:

    Letícia,

    Parabéns pela postagem!!!
    Hj estava achando um saco a repetência do tema OBAMA por todos os blogues, como se essa tivesse sido uma eleição local e como se algum de nós tivéssemos de fato votado nele. Negro ou não, Obama ganhou pq a maioria das pessoas (inclusive americanos, em época de crise) estão odiando a política de Bush…

    Gostei muito dessa suas reportagem!

    Responder
  9. Malukões comentou, em 05/11/2008:

    Espero que as mudanças realmente sejam boas! Mesmo com todo o racismo existente ele conseguiu ser eleito (como se a cor da pele fosse fazer algima diferença)…

    Responder
  10. Veiga comentou, em 05/11/2008:

    o cara merece…

    ^^

    http://www.trocistas.com

    Responder
  11. Jorjão comentou, em 05/11/2008:

    O melhor momento dos EUA nos ultimos 50 anos!!
    Parabens pelo texto moça
    Bjao

    Responder
  12. Viviane Petroli comentou, em 06/11/2008:

    Opaaaaaa até que enfim a era Bush acabouuuuuu. kkkkkk Espero que o Barack consiga melhorar os EUA.
    Parabéns pelo blog.

    Responder
  13. Gran Magic Carmesin: Nat Valarini comentou, em 06/11/2008:

    Bom dia!

    A forma como vc abordou o assunto foi diferete dos demais, está de parabéns.

    Toda vez que toco no assunto, gosto de frisar o problema da KKK, é uma vergonha um país que se orgulha tanto de ser avançado e democrático ainda ter o racismo tão forte.

    Um negro na presidência é um grande avanço!

    Seu blog é muito bom!

    Bjoks!

    http://garotapendurada.blogspot.com/

    Responder
  14. Leonardo Dognani comentou, em 06/11/2008:

    O;á Letícia!
    primeiramente obrigado pela dica! eu vou checar sim o site prozac^^

    sobre obama, eu não espero nada dele. Se ele for surpreender irá fazer pelos atos, e não pela campanha. Sendo que existe um risco considerável dele levar um tiro por culpa dos fanáticos raciais, que devem estar engolindo um grande sapo por ver um negro no cargo mais honroso dos US.

    Inicvialmente, não acho os US um país tão poderoso a ponto de intimidar o Brasil. Muitos não levam fé no Brasil, o que é uma pena…não temos armas nucleares, mas nosso exército é superior ao deles em treinamento e tamanho. Nossos fuzileiros bem trinados e superiores aos deles.
    Só que Brasileiro não acredita no próprio país. =/
    Mas, é questão de ótica.
    O mundo da atenção demais ao EUA como Lenda, e não como nação que vem causando problemas e se metendo em outras nações alegando serem policias do mundo, justiceiros e guerreiros do bem.
    Se eu fosse árabe, tb acreditaria que os US é “o Mal”.
    =p

    bjos^^

    Responder
  15. Wander Veroni comentou, em 06/11/2008:

    Oi, Lê!

    Demorou, mas cheguei aqui minha amiga. Fiquei muito feliz pela vitória do Obama, lá nos EUA, pq o povo norte-americano ganhou uma antipatia mundial por causa do Bush.

    Acredito que o Obama será o responsável por uma nova imagem dos americaso em relação ao mundo. Posso estar otimista d+, mas só pelo fato dele ter ganho essa eleição é uma prova de que os gringos querem mudança. Até lembrei da vitória do Lula no 1º mandato quando houve comoção nacional.

    Beijão,

    =]
    ——————
    http://cafecomnoticias.blogspot.com

    Responder
  16. Jorge Fortunato comentou, em 06/11/2008:

    Antes de ser negro, Obama é um político com propostas. Estas ganharam o eleitorado. Fez bem Obama em não seguir a fórmula: negro-que-luta-que-vence. Como vc bem disse, Obama não teve dificuldades. Foi bem criado e educado. Mérito dele. Chegar ao cargo mais importante de um continente foi consequência da sua obstinação.
    Boa matéria Letícia.
    Um beijo
    Jorge

    Responder
  17. Ana Gabi comentou, em 06/11/2008:

    Adorei seu blog e o posto sobre o Obama foi bem pertinente.

    Tb é assunto do meu post mais recente, mas eu não sou tão boa falando de politica e economia quanto você.

    Responder
  18. Elton Rosa comentou, em 07/11/2008:

    É um marco um negro num presidente de um país racista, dá até medo, sei lá… esse papo de era de aguario e tal… mas o fato é que so será bom para o povo negro em geral se ele fizer um bom goveeno, caso contrário, o fato dele ser negro pode ser motivo para os racistas para as crises do país. outra coisa importante que devemos lembrar, ele é estadunidense, vai defender os direitos dos estadunidenes, ele já afirmou que vai aumentar o protescionismo, contrário de MacCain q era um liberal, isso é péssimo pro nosso país.

    Responder
  19. Daniel Leite comentou, em 07/11/2008:

    Obama não é de esquerda e nem populista. Para mim, tachá-lo desta forma é puro preconceito. Por que ninguém falou isso de Bill Clinton?

    Não há esquerda forte, efetiva nos EUA. Populismo não significa somente agregar, habilidade marcante de Obama. Significa achar que pode falar em nome dos outros, ignorar a representação política de cada classe para ser o próprio representante político destas.

    O Partido Democrata é necessário aos EUA. De burro, ele tem somente o mascote. Mais conciliador, adepto do diálogo e menos militarista, é melhor diplomaticamente para o mundo. Economicamente, é menos liberal, é verdade. Mas o que adiantou ter um republicano que não permitiu o sucesso da Rodada de Doha e continua dificultando as exportações brasileiras?

    Obama é ímpar, inteligente, capaz. Tudo isso, às vezes, volta-se contra ele. É que o mundo está medroso, acostumado com a mediocridade. WE have a dream. Não custa sonhar. Que o primeiro negro a comandar os EUA seja um dos únicos a fazer um governo especial, ainda que com a crise econômica atormentando.

    Beijos!

    Responder
  20. Lilian comentou, em 07/11/2008:

    Dica de leitura…Textos ácidos e sarcásticos, pra quem quer ficar por dentro dos assuntos políticos e dos últimos acontecimentos de forma leve.

    http://www.mosaicodelama.blogspot.com

    Boa leitura!

    Responder

Escreva um comentário


    Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/babelpontocom/www/wp-content/themes/default/template-pre-footer.php on line 7

Warning: reset() expects parameter 1 to be array, string given in /home/babelpontocom/www/wp-content/themes/default/template-pre-footer.php on line 60