Animais abandonados: Como proceder

Criado por Letícia Castro em em 30/10/2014

adotar-animal-abandonado-cachorro-gato

da Redação

Um pet abandonado na rua pode ter a sorte de ser resgatado, encontrar um novo lar e ser muito feliz com a nova família. Muitas vezes, quem recolhe estes animaizinhos não sabe muito bem o que fazer com eles (como buscar o dono, para onde devo levar, etc).

Por ajudar tanto as pessoas que os salvam quanto aos próprios bichinhos, o Hospital Veterinário Pró Vita selecionou algumas dicas para que tudo saia da melhor maneira possível. Veja aí:

Recolhendo o animal abandonado
Tenha cuidado para não machucar o bichinho ou a vocês mesmo. Na maioria das vezes eles sentem medo de estranhos e podem reagir de maneira inesperada e até perigosa, correndo para outra direção, podendo ser atropelado ou mesmo reagindo de forma violenta por medo e falta de costume de contato com humanos.

Vá com calma e paciência, fale bem mansinho e ofereça petiscos para ganhar a sua confiança, mas evite tentar segurá-lo à força, tome muito cuidado com o uso de cordas ou outros artifícios que podem realmente machucá-lo.

Embora o gesto de recolher um animalzinho perdido seja muito bonito e possa salvar a sua vida, é importante não esquecer que ele é possível que ele esteja vivendo sozinho pelas ruas já há muito tempo e, por isso, exposto a muitas doenças e parasitas. Levá-lo para casa sem um cuidado maior pode expor a riscos outros pets e até mesmo as pessoas da família.

O que fazer quando já estiver com o bichinho?

Buscando o Dono: Procure pela identificação na coleira
Na coleira pode estar a Medalhinha de Identificação, com o nome do animal ou um telefone. Se ele escapou, é possível que tenha algumas informações armazenadas no acessório. O animalzinho também pode ter sido identificado com um microchip, que é invisível, pois fica abaixo da pele, e pode ser “lido” com a ajuda de aparelho específico nas principais clínicas e serviços veterinários. Esse chip fornece um número de cadastro que, quando buscado nos bancos de dados disponíveis, contém as informações do responsável.

Vasculhando a redondeza
Por mais bonitinho que seja, o pet pode estar perdido e não abandonado. Pense que em algum lugar (muitas vezes, bem próximo), é provável que alguma família, inclusive com crianças, esteja sentido muito a falta do animal. Por mais forte que seja a vontade de adotar, o ideal é passar em possíveis endereços do suposto fujão. Verifique em clínicas veterinárias, pet shops, abrigos para animais ou qualquer outro local que possa ser o ponto de partida da fuga.

Internet
Existem sites que ajudam nessa busca, criadas por protetores de animais e ONGs, como o www.adotebicho.com.br ou o www.cachorroperdido.com.br . É possível colocar a foto do pet para para buscar o dono original, ou mesmo descobrir quem é o dono do fujãozinho.

Usar as redes sociais, com o Facebook, também pode ser uma saída já que as postagens tendem a viralizar e se espalhar entre muitas pessoas – aumentando as chances do resgate. Existem várias páginas e grupos dedicados a encontrar animais perdidos.

Caso não tenha a sorte de encontrar os donos originais, o passo-a-passo que o bom samaritano com os animais deve seguir é o seguinte:

1. Cuidar do animalzinho
Se estiver ferido, leve-o imediatamente para atendimento veterinário. Por mais saudável que pareça, pequenas feridas podem guardar problemas maiores. Apenas um médico veterinário consegue saber, através de exames, qual é o estado de saúde do pet e se ele precisa de tratamento, medicamento ou apenas de um banho bem dado. Ele também pode ter doenças pré-existentes, sem o histórico completo do pet é difícil saber.

2. Vale seguir a ordem então:
- castração: além de melhorar a qualidade de vida do animal, previne doenças e reduz as chances de novas fugas
- vacinação geral: existem protocolos para vacinação de animais dos quais não se sabe se têm as vacinas corretas
- aplicar vermífugo: sempre importante, periodicamente
- providenciar um banho completo: a higiene também contribui para a saúde e bem estar
- outro tratamento qualquer que o médico veterinário possa solicitar: um check up do animal ajuda, já que não se sabe seu histórico
- implante de microchip: assim ele tem menos chances de se perder novamente, e mais chance de voltar para quem o ama

Passado algum tempo, sem encontrar o dono legítimo, você mesmo pode mantê-lo sob seus cuidados – mesmo que seja algo temporário, até encontrar um novo lar. Se estiver pensando em colocar para adoção, vale também entrar em contato com os sites especializados.

Escreva um comentário


    Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/babelpontocom/www/wp-content/themes/default/template-pre-footer.php on line 7

Warning: reset() expects parameter 1 to be array, string given in /home/babelpontocom/www/wp-content/themes/default/template-pre-footer.php on line 60