10 melhores discos da história do rock: Parte 2 – Queen II

Criado por Letícia Castro em em 13/04/2014

queenII

Qualquer coisa que se fale sobre o Queen é redundância ou já foi dito, afirmaria um amigo meu que prefere permanecer incógnito. Particularmente, conheci o Queen através do meu irmão, fã da banda, e um disco de grandes sucessos. Impossível não amar o “saudoso e grandioso vocal, cobrindo o mundo com purpurinas de ouro”, como diria o ex-baterista M. A. Soman, que ajudou o Babel a criar a lista dos 10 melhores álbuns da história do rock. E hoje é o dia deste outro maravilhoso quarteto de ingleses – ou quase – que nos boquiabriram ouvidos e coração com seu som revolucionário. Abram alas que a “Rainha” – ou a “Biba” – está na sala!

O álbum escolhido para representar o Queen foi a segunda obra da banda, Queen II, muito pouco conhecido pelo grande público. O disco é de 74 e não traz nenhum dos grandes clássicos que tocaram em absolutamente todas estações de rádio de todo o mundo. Este post é dedicado a quem se lembra do Queen pela batida mais melodiosa e pop dos anos 80. Está na hora de ir ao cerne da questão, de ouvir a raiz primeira de onde Freddie e trupe tiraram toda a experimentação que inauguraram no mundo do rock’n'roll.

Para qualquer banda que venha depois dos Beatles, usar o termo “inaugurar” é complicado. Mas o Queen inventou o rock-opera e as notas staccate na voz e piano de Mercury, ou na guitarra de Brian May, entraram para a história. Elas estão lá, em The march of the black Queen, para o orgulho de Mozart. Queen II, nas palavras de Axl Rose, “Do Queen, o meu favorito é o Queen II. Sempre que eles lançavam um disco novo, com diferentes tipos de músicas, eu ouvia e gostava de uma ou de outra. Com o tempo, aquilo abria minha mente para a possibilidade de outros estilos. Eu os valorizo muito por isso. É o tipo de coisa que eu sempre quis alcançar”.

Queen II é um disco conceitual. O lado A, batizado de “Side White”, traz os rapazes em fotos vestidos de branco e músicas com temas mais sentimentais, enquanto o “Side Black” segue a mesma tônica visual, com canções mais pesadas e obscuras. O álbum não foi um estouro em seu lançamento, nunca alcançando a primeira posição das listas das paradas, mas é tido como o primeiro disco-assinatura da banda.

Algumas curiosidades do Queen II:

. A capa do disco, feita pelo fotógrafo Mick Rock, foi reutilizada pela banda várias vezes ao longo da carreira e aparece nos vídeos de Bohemian Rhapsody (75) e One Vision (85).

. O álbum foi gravado em apenas um mês.

. Em 1994, Queen II apareceu no 202o. lugar na lista dos 1000 melhores álbuns de todos os tempos do Guinness.

Ouça aí:

Side White:

1. Procession
2. Father to son
3. White queen (as it began)
4. Some day one day
5. The loser in the end

Side Black:

1. Ogre battle
2. The fairy feller’s master-stroke
3. Nevermore
4. The match of the black queen
5. Funny how love is
6. The seven seas of rhye

Escreva um comentário


    Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/babelpontocom/www/wp-content/themes/default/template-pre-footer.php on line 7

Warning: reset() expects parameter 1 to be array, string given in /home/babelpontocom/www/wp-content/themes/default/template-pre-footer.php on line 60