Por trás da pedra

Criado por Letícia Castro em em 26/08/2015

Por Carol Taiar*avenidaPaulista

Sabe uma coisa que me incomoda? Pessoas que não são acostumadas a frequentar a Paulista pejorativizarem a “cidade de pedra” ou “selva de pedra” e também os corações que nela ficam como “corações de papel” ou “corações de pedra”, como se fossem secos e duros. Ficam tão atônitas com a grandiosidade das obras, infelizmente elitizadas pela mídia, que esquecem ou não percebem o orgânico naquele lugar.

Não conseguem ver o quão bonito é o amanhecer naquele lugar, os moradores de rua tendo momentos de amor, os operários conversando com as moças que vendem café baratinho na calçada, a movimentação dos corpos, os sentimentos carregados nos olhos de cada um, os bichos passeando, casais de todos os tipos indo e vindo, o céu de novo, com o sol a pino, num céu de brigadeiro, ou mesmo nublado, úmido e frio.

A Paulista à noite, então, um show de luzes gratuito, embalado pela boa música dos nossos artistas de rua e pintado pelas cores vivas de suas pinturas que demonstram arte em busca de sustento. Uma atmosfera mais do que propícia para que os (nossos) corações, julgados frios e secos, amem. Amem e muito e intensamente e desesperadamente.

Talvez isso explica a minha fixação com a Paulista quando mais nova e o quanto eu goste desse lugar. Talvez isso explique o porquê eu goste tanto de ver os muros estampados com cartazes e escritos. Talvez explique também por que eu nunca me canso de ver todos os “amanheceres” naquele lugar.

A Avenida Paulista foi feita para todos os olhos mas nem todos os olhos foram feitos para a Paulista. Com todas suas paralelas e perpendiculares, se torna única e não só mais uma das avenidas da Grande São Paulo.

Minha querida, me dedicarei a te amar e te fazer amada, pelo menos, nos próximos 4 anos. E oxalá, por muito mais tempo na minha vida, nunca te ou me limitando a ver e ser novas paisagens.

Declaração de uma Paulista sobre seu amor incondicional por essa paisagem.

Imagem: Arquivo pessoal da autora

CarolTaiar
Sobre Carol Taiar: Estudante de Rádio e TV pela Faculdade Cásper Líbero,
esta aquariana, que toca War Machine no baixo,
também é apaixonada por bons poemas e rock’n'roll.
Se quiser saber mais, acesse: facebook.com/caroltaiar.

Comentários (1)
  1. Jorge Taiar comentou, em 26/08/2015:

    Parabéns minha filha, lindo texto!

    Responder

Deixe uma resposta para Jorge Taiar Cancelar resposta


    Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/babelpontocom/www/wp-content/themes/default/template-pre-footer.php on line 7

Warning: reset() expects parameter 1 to be array, string given in /home/babelpontocom/www/wp-content/themes/default/template-pre-footer.php on line 60