A tarde dos 11629 dias

Criado por Letícia Castro em em 05/05/2015

1983. Em algum momento entre junho e dezembro.

- É, menina, a sua mãe tem razão, hein? Esse quarto podia ser bem mais arrumadinho. Por que você deixa os discos fora da capa? Seu irmão vive te dizendo pra guardar, ele cuida dos dele, não cuida? E por que você não fecha a vitrolinha do Mickey antes de ir dormir? Assim não junta poeira… Sério, você vai me agradecer por estar dizendo isso ainda. Mas, não foi para isso que eu vim aqui. Vou aproveitar que você está dormindo, te dizer umas coisas e ir embora, antes que você comece a gritar, achando que viu um fantasma…

Neste momento, na verdade, acho até que sou. Uma voz do futuro – e acredite, estes mesmos anos 80 ficarão marcados por um filme com um tema bem parecido… – é, é isso o que realmente sou pra você neste instante. Um futuro tão distante e que você imagina tão diferente que nem vale a pena identificar agora. Isso é o de menos. O “de mais” é o que você está prestes a  saber.

Existe uma quimera, secretamente guardada nesse seu coraçãozinho, muito cara para você. Ela nasceu de uns olhos negros, donos de uma masculinidade tão latente que te fizeram descobrir o desejo. Você ainda não tem ideia do que isso seja, do que se faz com o que sente, você apenas sente… E é real, está bem colocado e, lá na frente, você irá se lembrar dele com carinho. As coisas acontecem um pouco diferente para as mulheres, mas você entendeu que era uma quando viu aquele peito.

Muita coisa será definida por ele na sua vida. O “peito” deixará essa condição em todos os momentos em que você deitar sua cabeça no travesseiro e o dia tiver sido ruim e você precisar se lembrar de algo bom. A beleza masculina do desenho daquele peitoral e tudo o que ele também encerra – o aconchego, a proteção, quando os problemas cruzarem de um dia para o outro – serão uma constante no seu imaginário. Você, inclusive, tomará importantes decisões, inspirada por ele (sim, pelo peito!), porque é sensível à beleza e, sempre que alguém sugerir que pense em algo belo, a sua imaginação irá viajar até aquelas linhas frondosas e à pele morena debaixo delas.

Haverá momentos nos quais você pensará nele, no dono do peito, como alguém mítico, inalcançável e também se desprenderá por completo, em outras fases. Ele sempre encontrará o caminho de volta, no entanto, e será um norte nas suas relações, porque, sim!: você terá um namorado um dia! Não apenas um. Irá até se casar, em um determinado momento, veja só. E cada um deles, cada bem que se aproximar do seu afeto, virá com um detalhe meticulosamente selecionado. O signo, a cor do cabelo, os pelos… garota, você será obcecada! E isso nunca vai te atrapalhar, nem esquenta.

Mas me deixa te falar dos anos. Você os colecionará, dia após dia, após dia… Cada segundo dessa linha do tempo. Vai aprender o idioma dele. Aprenderá outros também. Irá até onde ele mora. E cruzará o oceano. Aliás, você irá amar em várias línguas e isso vai te ajudar a entender que o coração humano é sempre feito das mesmas vicissitudes. Basicamente, você fará tudo o que tiver vontade, pois é da sua natureza seguir o seu coração. E, ainda assim, justamente com o amor, será insuportavelmente racional (precisa melhorar isso, viu?).

A menos quando se trate dele. Ele é a chama incontrolável, o seu sopro divino, o impulso da criação. Diante dele, você continuará apenas sentindo. Chegará perto, trocará duas frases, a um certo ponto, jogará a sua vida para o alto – pela segunda vez – e é aí que tudo começará, vagarosamente, a se encaixar até os momentos que ainda viriam. No meio do caminho, haverá um casulo. Por 24 meses, você irá lutar com ele, back and forth. Vai perder algumas batalhas e vai descobrir que, de fato, mens sana in corpore sano.  Quando essa hora chegar, você já terá visto e ouvido quase de tudo nessa vida. Terá poucos sonhos, dois, na verdade. E chegará a hora de tocar o primeiro deles.

Em exatos 32 anos, a partir de hoje, um cenário forjado vai te conduzir a sua verdade. Nada haverá sido tão real na sua vida. Você cruzará o portal onírico e, com uma frase, ele irá conduzir a sua mão a um toque mais que precioso. O ídolo, o santo, a escultura sagrada. Nesse momento, quando os seus dedos estiverem sendo sugados pela touceira, já esmaecida pelo tempo, e você sentir a textura, a temperatura e a profundidade, será como tocar as vestes de Deus…

De uma forma estranha, porém, você nunca irá conseguir extravasar como gostaria a grande vitória. Não conseguirá chorar todas as lágrimas que esperava. Não gritará, salvo por alguns segundos, com os amigos mais próximos. Um pouco de sono irá faltar. Uma confusão momentânea vai tomar conta de você durante o primeiro mês, mas não será como você imaginara esse tempo todo. Será tão absolutamente mais abrangente que tomará conta de você por completo, como se realmente fizesse parte da sua vida e, então, você sentirá as if it had been meant to be. E terá sido porque será a SUA história se fazendo realidade e você a terá vivido 11629 vezes antes daquela tarde. Portanto, curvy (essa, você só saberá no devido momento…), enjoy the ride. Faça exatamente tudo o que tiver que fazer deste junho até aquele abril. And trust me, you’ll be fine. 

Paul-Stanley-chest“E há quem diga que o palhaço é, do grande circo, apenas o ladrão do coração de uma mulher.” (AM)

Comentários (2)
  1. Katia comentou, em 12/06/2015:

    Estou adorando seus textos.
    Neste, especificamente, é lógico que a parte que mais gostei foi: “De uma forma estranha, porém, você nunca irá conseguir extravasar como gostaria a grande vitória. Não conseguirá chorar todas as lágrimas que esperava. Não gritará, salvo por alguns segundos, com os amigos mais próximos.”
    É nóis! Gritamos juntas por alguns segundos, sim, eu estava lá no dia mágico que continha o grande evento que nos aproximou.
    E, se serve de consolo, até agora também não extravasei o quanto planejei. Na verdade, tem algo impedindo que eu me permita enlouquecer com o momento pelo qual esperei 33 anos.
    Valeu a pena, cada segundo de espera (que horas são no seu MKSQN?)…
    Frequentemente me pego, abobada e sorrindo sozinha, olhando a foto da minha vida. É, valeu mesmo a pena.
    Beijocas mil!

    Responder
    • Letícia Castro comentou, em 29/06/2015:

      Valeu muito a pena!!!! E que delícia descobrir esse texto agora! Aí, a gente vive tudo de novo… Não, acho que nunca vou conseguir extravasar mesmo… E por isso, precisamos ir de novo e de novo e de novo para descobrir como se faz isso. Ou não! Beijos, sugar, adorei seu comment! <3

      Responder

Escreva um comentário


    Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/babelpontocom/www/wp-content/themes/default/template-pre-footer.php on line 7

Warning: reset() expects parameter 1 to be array, string given in /home/babelpontocom/www/wp-content/themes/default/template-pre-footer.php on line 60