Aos meus amigos: agradecer faz bem e revigora

Criado por Letícia Castro em em 16/11/2008
“Não serei o poeta de um mundo caduco. Também não cantarei o mundo futuro. Estou preso à vida e olho meus companheiros. Estão taciturnos mas nutrem grandes esperanças. Entre eles, considere a enorme realidade. O presente é tão grande, não nos afastemos. Não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas.”
(trecho de Mãos dadas, de Carlos Drummond de Andrade)

Há escritores que para falar de si escrevem em 3a. pessoa. Há escritores que desenvolvem um texto em 1a. pessoa, mas não estão falando de si. Eu confesso que não sei fazer nem uma coisa nem outra (e admiro quem o faça). Se escrevo em 1a. pessoa, é pra falar de mim mesma. E nesse texto será assim.

Então, comecemos já com uma declaração. Sou pueril. Não infantil, não boba, mas pueril. Como uma criança que em tudo acredita e de tudo espera o melhor. Sou desconfiada também e o sensor dispara como uma sirene num primeiro encontro às vezes, mas geralmente, sou pueril. E gosto de ser assim, é preciso manter alguma crença em quem nos estende a mão com amizade. Faço-o com prazer, de olhos fechados.

É sobre amigos esse texto. Particularmente, dos amigos que conheci através do Babel. Todos, por enquanto, virtuais (o que tem seus dias contados), mas amigos, com quem divido os momentos online, portanto pedaços da minha vida e com quem até já trabalho. Há dois em especial, companheiros de todos os santos dias (não em desconsideração aos demais, mas estes são diários!), uma gaúcha preciosa e um mineiro único. Gosto de separá-los assim: gaúcha e mineiro, porque cada um deles traz muito dos seus rincões, assim como eu do meu. Mas também há todos os demais, todos os que entraram aqui desde que esse blog foi aberto.

É sobre eles esse texto. De coração aberto, há quem tenha entrado e não estabeleceu vínculos. Passou e continua passando. São amigos futuros que um dia vão ficar, tenho certeza, mas ainda não chegou a hora. Há os que passam por aqui frequentemente e já são de casa. E há os que passaram por aqui, criaram vínculos e se foram. Os vínculos, apenas, se foram. Este texto é especificamente para vocês.

Ao longo de minha vida, nunca colecionei inimigos. Se os tenho, sou deles, não eles de mim. Não guardo rancor, não é de mim guardar rancor. Quando alguém se vai da minha vida, pra sempre ou não, sofro, guardo meu luto e dentro dele, me permito. Até que também esse tempo se esvai. E entra outro e renasço. No entanto, uma coisa é sempre constante, não há rancor, não há desejo do mal, não há desejos maus. Depois que o tempo passa, só consigo me lembrar do que foi positivo em ter compartilhado com uma determinada pessoa um trecho da minha história. E, sinceramente? Pouco me importa quem acredite ou não, é a minha verdade, é ela que me interessa.

Além de não guardar rancor, quem convive aqui no Babel, já percebeu que gosto de ser grata. Tenho inúmeros defeitos, inúmeros, como todo ser humano. Mas tenho algo inerente, que é mais forte que eu. Agradeço tanto, mas tanto, que chego a ser piegas. No entanto, preciso disso, pois prezo muito a minha liberdade e sei o que é dedicar o precioso tempo em benefício de alguém, então, quando alguém o faz por mim, sou eternamente grata.

Chegamos ao ponto. Sim, trata de gratidão este texto. Quero agradecer, com o coração na mão, a estas pessoas que passaram e se foram, pelo compartilhar, pelo dividir, pelo ensinar, pelo oferecer, pelo doar. Meu Deus, e como foi especial! Levaram um pedaço de mim também, também receberam, também aprenderam, mas não é isso o que importa hoje. Eu preciso agradecer. Eu preciso declarar que esta torre une, em vez de dispersar, como aquela bíblica. É preciso reiterar que se segue aqui, que se preza tudo. É preciso reafirmar que o que houve de bom, bom fica e é o que importa. O resto é penduricalho.

Também é verdadeiro que aqui ninguém está com segundas intenções, que aqui amizade é coisa séria, que aqui há respeito pelo outro e o que tiver que ser dito ao outro, será dito a ele ou ela, não a quem não interessa. Aqui a coisa é real, aqui há alguém adulto que sabe relevar a palavra dita pela raiva e também sabe distanciar-se e respeitar-se, quando diálogos já não existem. Mas que fique bem claro, a coisa aqui é do bem, isso aqui é casa do bem e aqueles munidos de vontade, que ajudem a subir a torre. Aos demais, todo o meu respeito e desejo de sorte e saúde. Não os quero mal, não sei querer mal. Pelo contrário, há muito carinho, que não haja dúvidas. Como diz o Poetinha, “foste o que tinha de ser”. Aos que ficam, amor. Aos que se vão, amor. A todos, obrigada. Preciso de meus amigos e tenho sorte de precisar deles. Não há razão de ser, se for de outra maneira. A quem quiser, a mão está estendida.
Aqui se fala português

Comentários (26)
  1. Edegard comentou, em 16/11/2008:

    Querida Letícia.
    Não é porque sou seu fã de carteirinha, mas amei o seu texto,e nela você expressa uma verdade: AMOR. Com ele no coração não existe barreiras,é uma energia pura abrançando o mundo.
    Um grande beijo e muita luz para você.

    Responder
  2. LETÍCIA CASTRO comentou, em 16/11/2008:

    Pra vc o mesmo, amigão. E amei o comentário, viu? Como sempre. Isso de fã é recíproco, vc sabe disso.

    Beijos!

    Responder
  3. Anonymous comentou, em 17/11/2008:

    Moça, você está muito carente. Precisa arrumar um namorado.

    Responder
  4. LETÍCIA CASTRO comentou, em 17/11/2008:

    Querido “anônimo”, vc que “não deve frequentar muito o blog”, não deve saber. Já tenho alguém pra toda vida, viu? E ele é perfeito, aliás, já foi escrito um post sobre ele aqui, vc não deve saber, desculpe.
    Mas, esclarecendo a tua falta de interpretação de texto, o texto fala sobre amigos, tá bom? Podem ser femininos e masculinos, vc se precipitou, eu acho.
    Mas um beijo carinhoso pra vc tb. Não tem problema que vc tenha interpretado errado.
    Volte sempre!

    Responder
  5. LETÍCIA CASTRO comentou, em 17/11/2008:

    E, da próxima vez, identifique-se. Terei prazer em conhecê-lo/la.
    Mais beijos!

    Responder
  6. Rodrigo Piva comentou, em 17/11/2008:

    Lindo, lindo, lindo texto!!
    Carregado de puro sentimento.
    Estava inspirada, hein ragazza?
    Parabéns!! E todos os amigos, atuais e futuros têm muita sorte por poder compartilhar suas aventuras, experiências e principalmente sentimentos.
    Beijão e ótima semana pra ti! :-)

    Responder
  7. carla m. comentou, em 17/11/2008:

    Comadre, só posso dizer que estou aqui emocionada. Tua generosidade me encanta e já te disse isso.

    E sim, só passei pra que todo mundo possa ver que tenho muito carinho por ti também. Por que eu sei que tu sabe!

    Beijocas!

    Responder
  8. Marcelo comentou, em 17/11/2008:

    Letícia,

    Sou veterano na vida acadêmica e calouro na blogosfera. O Saco de filó não tem nem um ano, mas nesse curto tempo, aprendi muito com pessoas que conheci por aqui. gente bacana mesmo que me dá vontade de morar mais perto só para bater papo com freqüência.
    Você é uma dessas pessoas.
    Um beijão

    Marcelo

    P.S.: Vou aceitar o convite para o museu da língua e ano que vem vou com meus alunos e vou te avisar com antecedência para nos receber. Topa?

    Responder
  9. Dani comentou, em 17/11/2008:

    Lindo artigo, Le! Expressou bem o que a gente jà conhece sobre vc: amizade, simpatia, atençao, carinho… Continue sendo assim, uma pessoa de bem com a vida e cheia de amor!
    Fica com Deus, querida!
    Bjao!

    Responder
  10. Jacopeba comentou, em 17/11/2008:

    Muito bom o texto…..
    parabéns……
    …….
    Belo exemplo lá no início do grande poeta, Drumond…..
    ……
    parabéns…….
    abraços…….

    Responder
  11. joselito comentou, em 17/11/2008:

    Leticia

    Realmente, temos de fazer um “mea culpa”, pedimos muito e agradecemos sempre muito pouco.

    Muito bom.

    Responder
  12. Daniela Figueiredo comentou, em 17/11/2008:

    Letícia:
    Adorei o texto, uma homenagem a nós, amigos blogueiros! Também sinto esse carinho pelos meus amigos virtuais e blogueiros, é como se fizessem parte da vida da gente, pois para eles que desabafamos e contamos as novidades ou informamos algum fato. E eles nos mostram suas opiniões e nos dão conselhos. Saibas que és uma amiga especial, eu te admiro bastante. Beijos e sucesso sempre!

    Responder
  13. All3X comentou, em 17/11/2008:

    Oh, que legal Letícia passar por aqui e encontrar algo tão bacana.
    Na blogosfera escontramos muita gente interessante e criamos laços de amizade que perduram por bom tempo devido a essa afinidade de pensamento.
    Não seremos mesmo blogueiros de um mundo caduco, parafraseando Drummond.
    Por isso estamos aqui para expressar o que sentimos acerca da realidade a nossa volta e trocar idéias sobre isso.
    Babel exerce muito bem o seu papel de unir pessoas em prol de uma mesma causa.
    Valeu,
    All3X

    Responder
  14. Ligia Gally comentou, em 18/11/2008:

    Lele Xuxa,

    Minha amiga de High School,de tempos de colegios, insegurancas adolescentes, namoros frustrados, filmes e bailinhos.Quantos segredos e recordacoes ficaram em nossos coracoes. Esse seu texto sobre gratidao, eh a mais pura forma de dizer o quanto te amo. Eh muito bom ser sua amiga e poder contar com vc, mesmo com toda a distancia que separa nossos almocos e bate papos diarios.
    No decorrer da vida, aprendi que amizade eh um circulo. Comeca la em cima, de repente, tudo se perde. Percorremos o caminho do circulo e agora,estamos a 180 graus.Vamos comecar a subir de novo. 360 graus. Nos reencontramos . E o ciclo recomeca. Assim e a vida,em todos os sentidos.Carreira, amigos, tempo, dinheiro e mudancas. Cabe a nos guardamos o melhor deste ciclo percorrido em nossos coracoes. Cabe a nos NUNCA esquecermos das pessoinhas que conquistaram espacos eternos em nosso ser.
    Vc eh uma delas.
    Grande Beijo.
    Te amo.
    Ligia

    Responder
  15. Ligia Gally comentou, em 18/11/2008:

    Que raiva.
    Fiquei horas te escrevendo um comentario. Postei e sumiu tudo…ODIO…

    Beijos.

    Responder
  16. LETÍCIA CASTRO comentou, em 18/11/2008:

    Tá aqui, Lili doida! Subiu tudo! Cadê vc? Te procurei no msn, sua maluca! hehehe
    Eu tb te amo muito, vc sabe disso.
    Temos que continuar nossos papos, entra amanhã!
    Vc postou?
    Beijos!

    Responder
  17. Marcio Sarge comentou, em 18/11/2008:

    Como é bom saber que ainda perdurar por ai, nos cantos desse mundo, gente como você, moça, que sabe o peso de uma amizade, seja qual raiz ela tenha.

    Parabéns por toda essa conquista.

    Eu sei, também gosto muito daquela gaúcha rs.

    Responder
  18. Jorge Fortunato comentou, em 18/11/2008:

    Letícia,
    Fiquei com os olhos marejados, acho que nunca li um post tão sincero, tão verdadeiro, coração aberto. Acredito que na vida temos muitos caminhos para trilhar, e no meio do caminho encontramos obstáculos e dificuldades, mas também encontramos pessoas que nos estendem a mão, nos oferecem um abraço e muitas vezes nos oferecem amizade…Você é uma dessas pessoas, que mesmo na “distância” ou “proximidade” do mundo virtual, se faz presente.
    Um abraço,
    Jorge

    Responder
  19. Ugly Dréh comentou, em 18/11/2008:

    putz, vindo aki t pedir uma forcinha no meu blog, acabei dmontar, vamuh ver c pego o jeito da coisa neh [=

    bjauns

    Responder
  20. Juan Trasmonte comentou, em 18/11/2008:

    É isso aí, nena. Continue pueril que assim tá ótima!
    besos do gringo

    Responder
  21. [Farelos e Sílabas] comentou, em 20/11/2008:

    Por aqui ninguém está querendo palavrar, mas apenas nas alegrias do parto, parir um som qualquer em forma de gratidão por um texto suave e gostoso de ler!

    Se me cabe aqui o pequeno gesto de rapaz cidadão, trouxe-lhe um tijolinho para encostar num cantinho desses que ninguém sequer nota. Coisas assim que os outros, os de fora, chegam e dizem: é altruísmo. Pra mim, não, é modesta contribuição na construção da torre!

    Responder
  22. Wander Veroni comentou, em 20/11/2008:

    Oi, Letícia!

    Tô aqui emocionado na frente do computador, comadre :D . Por coincidência, recebi o feed dos dois post agora e vim aqui conferir. Não acredito que perdi esse post na data. Queria ser o primeiro a comentar…mas não tem problema: carinho é bom antes, durante e depois.

    Letícia, vc consegue me emocionar de verdade. A blogsfera me deu uma amiga querida, comadre e parceria profissional de presente. Só tenho que a agradecer a Deus todos os dias.

    Um texto tão bonito, assim como aquela homengem que vc fez com a canção do Milton. Saiba que meu carinho, admiração e amizade é recíproco, sempre.

    E ainda vamos ter a possibilidade de nos conhecer pessoalmente no Congresso! Ninguém nos segura…heheheh

    Bjs,

    =]
    ——————————
    htttp://cafecomnoticias.blogspot.com

    Responder
  23. Rogério Dalbem comentou, em 21/11/2008:

    Amizade é a “coisa” – sentimento, relacionamento, apego, sabe-se lá qual palavra define, ou resume, exatamente a amizade – mais importante na vida de qualquer um.
    Porque amizade é espotaneamente sincera. Ou sinceramente espotânea. Por isso, eu acredito que não existe amigo [amigo de fato] que vá embora, não existe amizade [das boas] que acabe. Amigos podem estar fisicamente distantes, mas nunca distantes… – reticências para evitar uma pieguice sem tamanho. Mas eu sempre fico piegas quando o assunto é amizade. Porque é a única coisa em que eu acredito sem questionar.
    Feliz aquele que tem um amigo.

    [credo, eu nunca falo assim "em público"].

    Responder
  24. SILVIA comentou, em 21/11/2008:

    Oi minha filha,

    Abaixo vou escrever um trecho lindo da ORAÇÃO DO AMIGO que recebi de um dos meus amigos do msn que diz:
    “HÁ MUITO SE DIZ QUE NÃO É POSSÍVEL VIVER SÓZINHO. A JORNADA É PENOSA E, SEM AMPARO, É DIFÍCIL CAMINHAR. JUNTO OS PÁSSAROS VOAM COM MAIS TRANQUILIDADE. JUNTAS AS GAIVOTAS REVEZAM A LIDERANÇA PARA QUE NEM UMA DELAS SE CANSE DEMAIS. JUNTOS É POSSÍVEL AOS GOLFINHOS COMENTAREM A BELEZA DE UM OCEANO INFINITO”.
    Amigo é isso, é poder estar unido em espirito, sem se importar com a distância, é aquele que compreende o que o outro quis dizer sem que sejam necessárias as palavras. É perceber na mudança do tom de voz que o outro está com algum tipo de problema. Um amigo verdadeiro é um tesouro inestimável. Parabéns pelo texto. AMO VOCÊ… ME ORGULHO DE VOCÊ.

    besos

    tu mamimta.

    Responder
  25. SILVIA comentou, em 21/11/2008:

    Oi minha filha,

    Me perdoe mas não posso ficar quieta. Gostaria de dizer algumas palavras ao amigo “ANÔNIMO”.

    Anônimo, não julgue as pessoas por você, o único carente nesse blog é você, tão carente que se esconde atrás de um pseudônimo Não faça isso, isso é próprio dos covardes e quero acreditar que você não o é, é, apenas um ser CARENTE precisando não de uma namorada, mas apenas de um AMIGO (A) que o escute e lhe estenda as mãos.

    beijos para você.

    Silvia, mãe da Letícia.

    Responder
  26. LETÍCIA CASTRO comentou, em 21/11/2008:

    Gente, eu não tenho nada a ver com isso. rs
    Mã, foi provocação, no fundo, ele não queria dizer isso, não. Eu sei quem é e ele é muito querido.
    Beijos pra todo mundo!!!
    EU AMO A MINHA MÃE!!! hehehee

    Responder

Escreva um comentário


    Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/babelpontocom/www/wp-content/themes/default/template-pre-footer.php on line 7

Warning: reset() expects parameter 1 to be array, string given in /home/babelpontocom/www/wp-content/themes/default/template-pre-footer.php on line 60